STF suspende investigações de Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro

A suspensão valerá até a volta do recesso forense do ministro Marco Aurélio, relator do caso.

Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz - Intra Legem
Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz (Mateus Bonomi/Agif/Folhapress/SBT) - Via Veja (Abril)

ISSN 2526-1681

Na última quarta-feira (16), a pedido do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), durante o plantão forense, suspendeu a investigação criminal do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) que apura movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio.

Segundo nota do MPRJ, a decisão, proferida em sede liminar (em caráter provisório), deverá ser analisada pelo relator da reclamação na corte, ministro Marco Aurélio Mello, quando de seu retorno do recesso judiciário, no dia 1º de fevereiro.

Os argumentos do pedido e da decisão liminar ainda não foram divulgados, pois a reclamação impetrada por Flávio tramita em segredo de Justiça.

O CASO

Em dezembro de 2018, Queiroz foi apontado em relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) por supostamente movimentar, em um ano, R$1,3 milhão, valor considerado pelo órgão como incompatível com sua renda. No fim de dezembro, Queiroz afirmou, em entrevista no SBT, que a movimentação do dinheiro seria proveniente de sua atividade de comércio de carros.

RCL 32989