Jair Bolsonaro contraria filho e diz que pena de morte não será debatida em seu governo

Declaração foi prestada após entrevista do filho concedida ao jornal O Globo

Jair Bolsonaro apontando para Eduardo Bolsonaro - Intra Legem - Direito - Política - Estado
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

ISSN 2526-1681

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, declarou, neste domingo (16/12), nas redes sociais, que o tema pena de morte não será debatido em seu governo. A declaração foi realizada após a publicação de reportagem pelo O Globo com o deputado federal reeleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Segundo o texto, publicado às 04h30min deste domingo, Eduardo Bolsonaro, indagado sobre plebiscito para liberar pena de morte, disse que, “se o povo aprovar, já vira lei”, referindo-se à possibilidade de aplicação da sanção para traficantes de drogas e para autores de crimes hediondos.

Após a declaração do filho, Jair Bolsonaro, remetendo-se à Constituição Federal, que veda a aplicação da pena de morte a civis em tempos de paz, disse que a vedação é cláusula pétrea e que eventual proposta de sua alteração não foi objeto de sua campanha:

1 COMENTÁRIO