Minas Gerais aprova Lei que garante direito de amamentar em locais de uso coletivo

Minas Gerais aprova Lei que garante direito de amamentar em locais de uso coletivo

STJ afasta incidência do crime de desacato com base em norma internacional
Lei municipal que proíbe protesto contra fé cristã é inconstitucional, diz Toffoli
Defensoria Pública é a instituição mais importante do país, segundo opinião popular

Nesta quinta-feira (22/12/2016), foi publicada no Diário Oficial de Minas Gerais a sanção do governador à Lei nº. 22.439/2016, que dispõe sobre o direito ao aleitamento materno nos estabelecimentos de uso coletivo, públicos ou privados.

De autoria do deputado Thiago Cota (PMDB), a norma tramitou na Assembleia Legislativa de Minas Gerais na forma do Projeto de Lei (PL) nº. 2.966/2015, cuja aprovação deu-se no dia 6 de dezembro.

A lei, que entrou em vigor na data de sua publicação, assegura à lactante o direito de amamentar em estabelecimentos de uso coletivo, públicos ou privados, em local de sua escolha, ainda que os referidos estabelecimentos tenham locais próprios e exclusivos para a amamentação.

Multa para os infratores

A norma também institui multa de 300 Ufemgs (trezentas Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais) a quem proibir a amamentação ou criar situação de constrangimento para a lactante, o que, na presente data, equivale a R$903,27 (novecentos e três reais e vinte e sete centavos), valor que será cobrado em dobro em caso de reincidência.


Veja a íntegra da Lei nº. 22.439/2016 MG clicando aqui.

COMENTÁRIOS